(Ulysses Neto)

No meio da mata eu fico olhando
Imaginando como era antes do caos
Do maio da massa que vem burbulhando
Só sobra ferrugem, cimento e cal

Oh, dotô, me ajuda aí !!
Não tá dando pra pagar !!
Vou pedir pra não roubar
E viver na minha paz !!

Dos que sobraram, poucos se ergueram
Dos que se ergueram, poucos se salvaram
A miséria tomou conta de seus corpos e de suas almas
Dizimou famílias, cidades, instituições
Destruiu amores, crenças, a dignidade
De mãos dadas com a ganância, o egoísmo e a estupidez
Findou o pouco do que era chamado de esperança